domingo, 20 de fevereiro de 2011

Textos sem sentido - parte II

Este texto, foi escrito cerca de três anos atrás quando eu estava no primeiro ano do ensino médio, em uma aula de literatura, cuja a professora era muito meticulosa e muito temida pelos alunos...hehe. É uma espécie de poema , as rimas são fracas e muito pobres mas não ligue, divirta-se. (Erros gráficos e de pontuação... desconsiderem)
Todo mundo e Ninguém
O juízo final chegou, e todo mundo se calou. O silêncio era total, o medo era imortal. Os dois elevadores estavam prontos. Todo Mundo era boa pinta e Ninguém era humilde.
TODO MUNDO: A raiva me domina,
nessa fila estou plantado bem na esquina
NINGUÉM: Quem é você para reclamar tanto?
Fique quieto no seu canto.
TODO MUNDO: Eu sou Todo Mundo,
sempre falo nunca cumpro.
NINGUÉM: Como assim?
BELZEBU: Isso é bom anotar, para não ficar no ar
Todo Mundo fala e Ninguém se surpreende.
TODO MUNDO: Sou político, ganho milhões
faço promessas apenas
para aquecer corações.
NINGUÉM: Eu sou pessoa do povo,
não espero algo novo.
Eu só quero ajudar meu povo.
BELZEBU:Outra anotação, para melhor minha noção
Todo mundo é injusto e Ninguém quer ajudar o povo.
TODO MUNDO:Dos meus companheiros não falo mal
estou sempre pronto para fazer hora extra tenho certeza e digo isso com muito franqueza.
NINGUÉM: Do meu chefe eu não falo mal
tenho sempre a resposta final
Se tem algo errado
Vou logo falando o significado
BELZEBU: Ótimo uma conclusão, Todo Mundo é corrupto e Ninguém fala da corrupção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário